Frete grátis nos produtos marcados

Desconto adicional de 2% em compras em quantidade

Entregamos em todo o Brasil

receba nossas ofertas

DULCOLAX 5 MG CAIXA 20 DRÁGEAS
Preço, Indicação, Para que Serve e Composição

ver produtos semelhantes a Dulcolax

DULCOLAX

compartilhe

Saiba pra que serve o produto Dulcolax 5 mg caixa 20 drágeas da Boehringer Ingelheim e todas as suas principais indicações. Leia a bula completa e saiba pra que serve este e como ele funciona nos casos de constipação intestinal.

Dulcolax 5 mg caixa 20 drágeas -  Boehringer Ingelheim

de R$ 5,39

por R$ 4,85

em 6x R$ 0,81 no cartão de crédito**

  • 1x R$ 4,85
  • 4x** Consulte
  • 2x R$ 2,43
  • 5x** Consulte
  • 3x R$ 1,62
  • 6x** Consulte

**Juros da Administradora. Consulte a mesma para saber a taxa de juros aplicada.

simule os fretes disponíveis para sua região

Dulcolax 5 mg caixa 20 drágeas -  Boehringer Ingelheim
entregamos em todo Brasil
  • bula



Dulcolax®

bisacodil

LAXANTE DE AÇÃO PREVISÍVEL

􀂃 Estimula o movimento intestinal

􀂃 Alivia a prisão de ventre

Esta bula é atualizada continuamente. Por favor, proceda à sua leitura antes de

utilizar o medicamento.

Forma farmacêutica e apresentação

Drágeas: embalagem com 20 drágeas.

Uso adulto e crianças acima de 4 anos

Composição

Cada drágea contém:

bisacodil .............................................................................................5 mg

Excipientes: lactose monoidratada, amido, glicerol, estearato de magnésio,

sacarose, talco, acácia, dióxido de titânio, eudragit, dibutilftalato, macrogol, óxido

de ferro amarelo, cera branca de abelha, cera de carnaúba, laca.

Informação ao paciente

DULCOLAX é um laxante de contato com tempo de ação previsível, permitindo ao

usuário programar suas atividades. Após a ingestão das drágeas de DULCOLAX,

o início da ação ocorre após 6-12 horas, sendo determinado pelo tempo de

formação do composto ativo no cólon. DULCOLAX proporciona alívio da

constipação intestinal (prisão de ventre) e limpeza intestinal para procedimentos

diagnósticos. Manter o medicamento em temperatura ambiente (15°C a 30°C).

Proteger da luz e da umidade. O prazo de validade do produto é de 24 meses a

partir da data de fabricação, desde que observadas as condições de

armazenamento. Não tome medicamento com prazo de validade vencido. Informe

ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu

término. Como ocorre com todos os laxantes, o uso do produto durante a

gravidez, depende de rigorosa indicação médica, sobretudo no primeiro trimestre.

Informe ao médico se está amamentando.

As drágeas devem ser ingeridas inteiras, sem mastigar, com líquido adequado.

Reações desagradáveis são raras quando se usa o produto por pouco tempo. No

entanto, em casos isolados, relataram-se desconforto abdominal e diarréia. No

caso de aparecimento de reações adversas intensas, procure orientação médica.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS

CRIANÇAS.

Como ocorre com todos os laxantes, no uso freqüente ou contínuo o paciente

pode acostumar-se a utilizar tais produtos sem necessidade, deixando de lado as

medidas habituais de boas práticas alimentares e demais medidas adequadas ao

bom funcionamento intestinal.

Quando houver necessidade de tratamento contínuo, recomenda-se que seja feito

sob controle médico.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER

PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

Atenção diabéticos: contém açúcar.

Informação técnica

O bisacodil é um laxante de ação local derivado do grupo difenilmetano. Como

laxante de contato, que também apresenta efeitos hidragogo e anti-reabsortivo, o

bisacodil estimula o peristaltismo do cólon após hidrólise na mucosa do intestino

grosso e promove acúmulo de água, e conseqüentemente de eletrólitos no lúmen

colônico. O resultado é a estimulação da defecação, redução do tempo de trânsito

intestinal e amolecimento das fezes.

Farmacocinética

Após a administração de solução oral ou formulação de liberação imediata de

bisacodil, o composto laxante de ação local, bis-(p-hidroxifenil)-piridil-2-metano

(BHPM), é formado no intestino pela hidrólise do bisacodil principalmente pelas

enzimas da mucosa intestinal. Ele pode ser absorvido, é conjugado e circula na

corrente sangüínea na forma inativa (principalmente como glicuronídio) e em

seguida é excretado na urina e na bile. A maior parte do BHPM é excretada

diretamente nas fezes.

Os metabólitos disponíveis no plasma e na urina estão presentes principalmente

na forma inativa como glicuronídios. Não há relação entre o efeito laxante de

bisacodil e as concentrações plasmática e urinária dos metabólitos glicuronídios.

As drágeas de DULCOLAX são resistentes aos sucos gástrico e do intestino

delgado, permitindo liberação da droga no cólon, que é o local de ação desejado.

O bisacodil é então hidrolisado, originando o composto ativo BHPM, que atua

localmente sem absorção. Conseqüentemente, o início da ação ocorre após 6-12

horas. A excreção urinária média é dependente da forma farmacêutica e é baixa

no caso das drágeas com revestimento entérico (na faixa de 3 a 17%).

Indicações

DULCOLAX é indicado nos casos de constipação intestinal.

No preparo para procedimentos diagnósticos, no pré e pós-operatório e em

condições que exigem uma evacuação facilitada.

Contra-indicações

DULCOLAX é contra-indicado nos casos de íleo, obstrução intestinal,

quadros abdominais agudos, como apendicite aguda, doenças inflamatórias

agudas do intestino e dor abdominal grave associada com náusea e vômito,

que podem ser sintomas de problemas mais graves.

DULCOLAX também é contra-indicado em casos de intensa desidratação e

em pacientes com hipersensibilidade ao bisacodil ou a qualquer outro

componente da fórmula.

É contra-indicado em problemas hereditários raros que podem ser

incompatíveis com excipientes do produto (veja o item Precauções).

Precauções

Como ocorre com todos os laxantes, DULCOLAX não deve ser utilizado

diariamente por período prolongado sem investigar a causa da constipação.

O uso excessivamente prolongado pode causar um desequilíbrio eletrolítico

e hipocalemia.

Há relatos de tontura e/ou síncope em pacientes tratados com DULCOLAX.

Os dados disponíveis nestes casos sugerem que os eventos podem ser

relacionados com a síncope da defecação (ou síncope atribuível ao esforço

para defecar), ou com a resposta vasovagal à dor abdominal que pode estar

relacionada à constipação que induziu o paciente a recorrer ao uso de um

laxante, e não necessariamente ao uso do bisacodil.

Crianças não devem utilizar DULCOLAX sem orientação médica.

Cada drágea contém 34,9 mg de lactose. Assim, a dose diária máxima

recomendada no tratamento da constipação em adultos e crianças acima de

10 anos de idade contém 69,8 mg de lactose e no preparo para exames

diagnósticos, contém 139,6 mg. Pacientes com problemas hereditários raros

de intolerância à galactose (galactosemia, por exemplo) não devem utilizar

este medicamento.

Cada drágea contém 21,3 mg de sacarose. Assim, a dose diária máxima

recomendada no tratamento da constipação em adultos e crianças acima de

10 anos de idade contém 42,6 mg de sacarose e no preparo para exames

diagnósticos, contém 85,2 mg. Pacientes com problemas hereditários raros

de intolerância à frutose não devem utilizar este medicamento.

Gravidez e lactação

Não existem estudos adequados e controlados em mulheres grávidas. A

ampla experiência não tem demonstrado efeitos indesejáveis ou prejudiciais

durante a gravidez.

Não foi estabelecido se bisacodil passa para o leite materno. Mesmo assim,

como ocorre com todos os fármacos, DULCOLAX deverá ser administrado

durante a gravidez ou amamentação somente com recomendação médica.

Interações medicamentosas

O uso concomitante de diuréticos ou adrenocorticosteróides pode aumentar

o risco de desequilíbrio eletrolítico, se forem utilizadas doses excessivas de

DULCOLAX. O desequilíbrio eletrolítico pode aumentar a sensibilidade aos

glicosídeos cardíacos.

Reações adversas

Durante o uso de DULCOLAX podem ocorrer episódios de desconforto

abdominal, incluindo cólicas e dor abdominal (que podem estar associadas

com náusea e/ou vômito). Diarréia tem sido observada. Há relatos isolados

de angioedema, reações anafilactóides em associação com a administração

de DULCOLAX.

Posologia e modo de usar

Recomenda-se a seguinte posologia, a menos que o médico prescreva outra

dose:

Tratamento da constipação:

Adultos e crianças acima de 10 anos: 1 a 2 drágeas (5-10 mg).

Crianças de 4 a 10 anos: 1 drágea (5mg).

Recomenda-se que as drágeas sejam ingeridas à noite para que se obtenha a

evacuação na manhã seguinte.

As drágeas não devem ser ingeridas com produtos que reduzem a acidez do trato

gastrintestinal superior, como leite, antiácidos ou inibidores da bomba de prótons,

para que o revestimento entérico não se dissolva prematuramente. As drágeas

devem ser ingeridas inteiras, com líquido em quantidade suficiente.

Em procedimentos diagnósticos e no pré-operatório:

No preparo para procedimentos diagnósticos, no tratamento pré e pós-operatório

e em condições que exigem uma evacuação facilitada, DULCOLAX deverá ser

usado somente sob supervisão médica.

A dose recomendada para adultos é de 2 a 4 drágeas na noite anterior ao exame.

Para crianças acima de 4 anos, 1 drágea ao anoitecer.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR; NÃO DESAPARECENDO OS

SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

Superdosagem

Sintomas: No caso da administração de altas doses, podem ocorrer diarréia,

cólicas e uma perda clinicamente significante de potássio e de outros eletrólitos.

Assim como os outros laxantes, superdose crônica com DULCOLAX pode causar

diarréia crônica, dor abdominal, hipocalemia, hiperaldosteronismo secundário e

cálculo renal. Há relatos de dano tubular renal, alcalose metabólica e fraqueza

muscular secundária à hipocalemia em associação com o uso crônico de laxantes

em altas doses.

Tratamento: Dentro de um curto período após ingestão das drágeas, a absorção

pode ser minimizada ou impedida pela indução de vômito ou lavagem gástrica.

Pode haver necessidade de reposição de líquidos e correção do desequilíbrio

eletrolítico. Esta medida é particularmente importante nos pacientes idosos, assim

como nos mais jovens. A administração de antiespasmódicos pode ser útil.

Nº do lote, data de fabricação e prazo de validade: vide cartucho.

Para sua segurança, mantenha esta embalagem até o uso total do

medicamento.

MS-1.0367.0022

Resp. Técn.: Farm. Laura M. S. Ramos

CRF-SP nº 6870

Boehringer Ingelheim do Brasil

Química e Farmacêutica Ltda.

Rod. Regis Bittencourt (BR116), km 286

ltapecerica da Serra - SP

SAC 􀀋 0800-7016633

CNPJ/MF nº 60.831.658/0021-10

Indústria Brasileira