Abrir

Televendas

(11) 3990-7450

Bula LANITOP COM 30 COMPRIMIDOS

Laboratório SINTERAPICO

COMPRAR LANITOP COM 30 COMPRIMIDOS

Aqui na Farmácia Mix você encontra informações sobre a Bula do Lanitop com 30 comprimidos , indicações, contra-indicações, sua posologia e para que serve o medicamento Lanitop, além de saber informações adicionais como a indicação de seu uso, riscos e ainda você tem a possibilidade de adquirir este produto sem sair de casa e receber em qualquer lugar do Brasil.

Composição, Posologia, Indicações e Contra-indicações do Lanitop


Saiba pra que serve o produto Lanitop com 30 comprimidos da Sinterapico e todas as suas principais indicações. Leia a bula completa e saiba pra que serve este e como ele funciona nos casos de Indicado as formas de graus de insuficiência cardíaca.

Desculpe-nos, nosso estoque para este produto esta esgotado.

Avise-me quando chegar

Principal Indicação

Indicado as formas de graus de insuficiência cardíaca.

Ficha Técnica

Nome do Produto: LANITOP COM 30 COMPRIMIDOS

SKU: 801

Código EAN: 7898168731262

Registro Ministério da Saúde: 1044501290017

Princípio Ativo: BETAMETILDIGOXINA

Fabricante: SINTERAPICO

SAC Fabricante: 0800-707-7499

E-mail Fabricante: SINTERAPICO@TERRA.COM.BR

Mais informações sobre o produto:

Laboratório
Evolabis

Apresentação de Lanitop
Lanitop compr.: caixa c/ 30 compr. de 0,10mg

Lanitop - Informações
Lanitop possui como princípio ativo a metildigoxina, um glicosídeo cardiotônico que tem os seguintes efeitos sobre o miocárdio: · Aumento na força e velocidade de contração do miocárdio: a ação inotrópica positiva está estritamente relacionada às mudanças no fluxo de cálcio. Os digitálicos aumentam a concentração de cálcio intracelular livre e conseqüentemente a contratilidade. Este aumento leva a um aumento no débito cardíaco, melhora a circulação nos órgãos, reduz a congestão venosa e edema e promove a diurese. · Diminuição na freqüência cardíaca (efeito cronotrópico negativo). · Diminuição na velocidade de condução atrioventricular que explica a diminuição da freqüência ventricular produzida pelo glicosídeo digitálico na taquicardia supraventricular. · Aumento na excitabilidade ventricular: Este efeito ocorre primariamente em níveis séricos aumentados de glicosídeos e, pode levar a extra-sístoles ventriculares multiformes.

Lanitop - Indicações
Tratamento de insuficiência cardíaca congestiva, arritmias cardíacas (flutter e fibrilação atrial) e taquicardia atrial paroxística.

Contra-indicações de Lanitop
Lanitop não deve ser empregado em casos de intoxicação digitálica, hipercalcemia, hipocalemia, cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica, transtornos de condução AV (2º e 3º graus de bloqueio AV), taquicardia e fibrilação ventriculares, aneurisma aórtico torácico, síndrome do seio carotídeo, síndrome de Wolff-Parkinson-White e hipersensibilidade ao fármaco. Uso na gravidez e lactação Efeitos teratogênicos não foram relatados. Lanitop passa para a circulação fetal durante a gravidez. A administração de metildigoxina, durante a gravidez, deve ser considerada somente se o benefício justificar o risco potencial ao feto. A mãe deve ser supervisionada cuidadosamente e a dose deve ser ajustada individualmente de acordo com a necessidade da paciente. A necessidade do glicosídeo pode aumentar durante as últimas semanas de gravidez. Após o parto, entretanto, a redução da dose é freqüentemente indicada. A metildigoxina é encontrada no leite materno humano. Não há contra-indicação para lactantes, mas a taxa cardíaca do lactente deve ser monitorizada.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Lanitop
Sistema cardiovascular: arritmias (taquicardia ventricular, bradicardia, bloqueio atrioventricular (AV), batimentos ventriculares prematuros). Trato gastrintestinal: perda de apetite, sintomas abdominais (náuseas, vômitos), diarréia (raramente) e casos isolados de infarto mesentérico. Sistema nervoso central: distúrbios visuais. Ocasionalmente podem ocorrer cefaléia e cansaço. Raramente insônia, transtornos psíquicos, depressão, alucinações e psicose. Outras reações adversas que raramente podem ocorrer são: ginecomastia, reações alérgicas como eritema, síndrome semelhante ao lúpus eritematoso e trombocitopenia.

Lanitop - Posologia
As doses recomendadas representam valores médios, podendo ser modificadas a critério médico. O fator decisivo para determinação da posologia é a necessidade de digitalização do paciente para controle da insuficiência cardíaca. Esquema posológico Necessidade terapêutica Lanitop Comprimidos Digitalização rápida em casos de insuficiência cardíaca 0,6 mg diários: 2 comprimidos, 3 vezes ao dia, durante 2-4 dias Digitalização moderadamente rápida 0,3 mg diários: 1 comprimido, 3 vezes ao dia, durante 3 dias Digitalização lenta: O tratamento pode ser iniciado com a dose de manutenção DOSE DE MANUTENÇÃO POSOLOGIA Lanitop Comprimidos Posologia padrão 0,15 mg diários: 1 ½ comprimido ao dia Complementação à posologia padrão (ex.: fibrilação atrial, hipertiroidismo) 0,2 - 0,3 mg diários: 2 a 3 comprimidos ao dia Redução da dose (ex.: pacientes com hipotiroidismo, baixo peso corpóreo) 0,05 - 0,1 mg diários: ½ a 1 comprimido ao dia USO PEDIÁTRICO Neste caso a dose deve ser individualizada. Peso corporal (kg) Doses de manutenção diária comprimidos / mg 1 - 4* / 0,013 3 - 5 / 0,026 - 0,039 6 - 10 / 0,052 - 0,078 11 - 14 / 0,091 - 0,104 15 - 18 / 0,117 - 0,130 19 - 24 /0,143 - 0,169 25 - 28 / 0,182 - 0,195 > 30 > 0,195 (*) recém-nascidos prematuros e neonatos. Uso em idosos (pacientes com idade superior a 65 anos): a dose utilizada deve ser reduzida de acordo com a função renal, calculando-se o clearance de creatinina. Uso em pacientes com insuficiência renal: o esquema posológico deve ser ajustado de acordo com a função renal do paciente, seguindo-se a seguinte posologia preconizada: Creatinina sérica Clearance de creatinina Esquema posológico ( para todas as apresentações) até 1,2 mg/100 ml > 70 ml/min dose completa até 2,0 mg/100 ml > 45 ml/min ½ da dose usual até 3,0 mg/100 ml > 30 ml/min 1/3 da dose usual > 3,0 mg/100 ml < 30 ml/min ¼ da dose usual